O Corte do Zumbi

agosto 23, 2013

Ninguém

Filed under: Uncategorized — Binho @ 3:56 pm

Ninguém

Há algo de podre em mim

agosto 18, 2013

Havia uma mulher chupando um pau no estacionamento

Filed under: Uncategorized — Binho @ 3:31 am

A distorção cósmica deste dia comum. A distância de mim mesmo. Complexo destino. Infinitos desejos. O dia comum. A maldita tomada nova. Padrões novos.

A alma e o deserto. A praia. O nojo. Tudo que é explicado. Dentro do infinito. Da imortalidade de uma mosca. Da solidão de um casulo. Do medo e da angústia. Do despero. Das horas passando. Do frio. Do mundo. Da voz que não sai. Da mulher chupando um pau no estacionamento. Das contrações do estômago. Das fezes. Do odor nauseabundo.

Do amor que nunca tive por mim mesmo. Da felicidade que não me importa. Da indiferença que me guia. Da covardia de meus desejos. Da mentira de minha coragem. Do nada que contemplo. Do vazio que se move.

Em mim.

agosto 17, 2013

Nada

Filed under: Uncategorized — Binho @ 5:39 am
 É um absoluto vazio. Ecoa em todas as direções o caos. O quão complexo é este simples dia. E a distorção cósmica da confusão. Se eu pudesse explicar. Explicaria. Mas não sei nem por onde começar. As fotos, a felicidade comum, a amizade esperançosa, o silêncio, a decisão e a vontade de ser algo. Algo além de estar sendo eu. Nessa minha desconexão com mundo. Com o tempo passando….o Nada.

Blog no WordPress.com.